Início do percurso: junto à ponte de madeira, no Skiparque.

Para os apreciadores de caminhadas, a Rota da Azinha é particularmente atractiva, possibilitando diversidade e profundidade de planos visuais consecutivos, conferidos pela altitude e pelo perfil transversal dos vales e das graciosas cumeadas. À multiplicidade das formas, texturas e movimento do relevo, associa-se uma vegetação rica e diversificada.

Ao longo do percurso é possível contemplar as marcas da modelação da paisagem feita pelo Homem. Destacam-se as Coanheiras – campos agrícolas situados perto da povoação de Sameiro, retirando partido da água do Rio Zêzere, que é conduzida em levadas, e que incluem prados e horticulturas (feijoca, feijão, batata, tomate, alface, cebola, alho, ervilha, couve galega, cenoura, etc.). Neste local pode observar-se a compartimentação das parcelas rurais e da linha de água, constituída principalmente por exemplares de freixo, salgueiro, salgueiro-branco, amieiro, choupo.

A maior altitude, o trilho atravessa a Quinta do Fragusto – propriedade rural de maior dimensão onde se pratica uma agricultura de montanha, baseada no pastoreio, no cultivo de centeio e na floresta, e o Cabeço da Azinha – miradouro natural que proporciona uma excelente panorâmica para um acumular de vales e serras a perder de vista, onde aliás se situa uma pista de parapente e um posto de vigia de incêndios.

A Rota da Azinha possibilita uma visita à antiga casa do Guarda-Florestal do Gorgulhão – as casas de Guarda-Florestal foram implantadas de forma a dotar os Perímetros Florestais e respectivas unidades de gestão, de infra-estruturas de apoio à actividade florestal ali desenvolvida, permitindo a fixação de Guardas-Florestais e respectivas famílias que teriam por incumbência a vigilância e fiscalização das áreas que lhe estavam atribuídas. Os Guardas-Florestais desempenharam um papel fulcral na arborização e protecção destes Perímetros Florestais que ocupam grande parte da Serra. O Gorgulhão é ainda constituído por uma área de lazer que inclui um circuito de manutenção, percurso de BTT e um parque de merendas rodeado por densas matas de resinosas.

Ao nível da flora, encontram-se espécies tão relevantes como a azinheira, a tramazeira, o freixo, o amieiro, o carvalho-negral, a giesta-branca, a urze, o rosmaninho, o sargaço, a cerejeira, a carqueja, entre outras.

A paisagem da Rota da Azinha é caracterizada por ecossistemas que permitem a eclosão de uma vegetação diversa, ao mesmo tempo que fornece um habitat para fauna diversificada, como guarda-rios, perdiz, tartaranhão-caçador, peneireiro, gaio, coelho bravo, raposa, morcego-de-ferradura-pequeno, salamandra-de-pintas-amarelas, boga, etc.

Importa referir que a Rota da Azinha permite interacção com a Rota de Vale de Amoreira, Rota do Corredor de Mouros e Rota de Sameiro.

  • Rota PR10MTG
    • Designação: Rota da Azinha
    • Tipo: Circular
    • Coordenadas início: 7º28'04.13"W 40º24'41.70"N
    • Altitude início: 574 m
    • Altitude mínima: 574 m
    • Altitude máxima: 1243 m
    • Sentido aconselhado: Contrário ao dos ponteiros do relógio
    • Dificuldade: Média
    • Extensão: 18,4 km | 20 km (com derivações)
    • BTT: Sim